Teve, por Unidade mobilizadora, o Regimento de Artilharia Ligeira 1, de Lisboa. Constituído por três Companhias operacionais e uma de comando e serviços - C.ART 738, C.ART 739, C.ART 740 e CCS - desembarcou em Luanda no dia 18 de Janeiro de 1965. Regressou à Metrópole em 1967, aportando ao cais da Rocha do Conde de Óbidos a 9 de Março.

sábado, 16 de março de 2013

Soldado Manuel Sousa Pinto! PRESENTE!


Faz hoje 48 anos que faleceu, algures no Norte de Angola, o Soldado Atirador de Infantaria 

Manuel Sousa Pinto

 que fazia parte do 4º. Grupo de Combate da CArt 739.
"Em verdade, só morremos verdadeiramente quando já ninguém nos recorda"

"In Memoriam"
Uma velha canção militar alemã "Ich hatt' einen Kameraden" (Eu tinha um camarada...)

quinta-feira, 14 de março de 2013

Confraternização do Batalhão de Artilharia 741

Conforme estava anunciado, realizou-se, no passado dia 9 do corrente - dia em que, exactamente, perfazíamos 46 anos que aportámos a Lisboa - o 27º. Convívio dos elementos que constituíram o Batalhão de Artilharia 741.
A Confraternização realizou-se na Quinta dos Loridos (Budha Eden Park), nas proximidades do Bombarral e contou com a presença de 104 ex-combatentes, muitos dos quais acompanhados de familiares. Procurou-se proporcionar um dia agradável a todos quantos se deslocaram, alguns vindos mesmo de bastante longe. 
Graças à colaboração do Armindo Matias, residente nas Caldas da Rainha, conseguimos, à última da hora, que fosse rezada Missa por alma dos Camaradas falecidos no Santuário do Senhor Jesus do Carvalhal, pelas 11 horas da manhã.
Voltámos a lembrar os Camaradas falecidos, a meio da tarde, com alguns segundos de silêncio antes de, em coro mais ou menos "desafinado", cantarmos os "Parabéns" por mais este aniversário.

Para memória futura, aqui ficam as fotos dos "indefectiveis" das quatro Companhias que constituíam o Batalhão (como é hábito, em "desorganizações" como esta, alguns camaradas não se "apresentaram à chamada" para as fotos de grupo, pelo que, para além dos aqui documentados, outros mais havia) 
CArt 738
CArt 739
CArt 740
CCS
VETERANO

PS 1 - Não posso deixar de referir os magníficos postais (este, este e ainda este e mais este) colocados pelo meu excelente camarada Carlos Fonseca, no seu blogue, a propósito desta confraternização. 

PS 2 - A título de curiosidade, apresento um gráfico relativo às presenças de ex-combatentes, nos últimos 5 convívios:

V.

sexta-feira, 1 de março de 2013

In Memoriam - Cap Art José do Lago Queirós

Fomos hoje surpreendidos com mais uma triste notícia: a do falecimento, no dia de ontem, 28 de Fevereiro, do Cap José do Lago Queirós, que pertenceu à CArt 740. A má nova foi-nos transmitida pelo Júlio Duarte, seu camarada da mesma Companhia e seu vizinho.

Que Deus lhe dê o eterno descanso!

Do CelArt. Nuno Anselmo recebemos o seguinte texto, que nos apressamos a publicar:

Esta notícia deixa-me muito triste, pois considero que o capitão Queirós, para além de fazer o favor de ser meu amigo, foi o meu primeiro e principal professor, na vida militar, na área administrativa.

Lembro-me perfeitamente, como se fosse hoje, das enormes dificuldades que na altura sentia quando me foi dada a missão, embora ainda Alferes, de ir comandar a CART 740. Coloquei essas enormes dificuldades, pessoalmente ao então Comandante da Região Militar de Angola, General José Eduardo Reverendo da Conceição, quando visitou a sede do Batalhão em Junho ou Julho de 1965 e na véspera de ir para a CART 740, ao Comandante do Batalhão. Ambos não só não me deram qualquer apoio como ainda me disseram que tinham outras preocupações e eu assim que fosse o Comandante da companhia era como se fosse um capitão…

Quando após a partida do capitão Amaro, fiquei a comandar a CART 740 a primeira conversa que tive com o então 1º Sargento Queirós foi mais ou menos nestes termos: 

         "Queirós quanto à parte operacional eu não tenho qualquer problema e como tal tudo irá decorrer como até então, agora quanto à parte administrativa eu não sei nada, pois nada me tinha sido ensinado até então e o Queirós terá que me ensinar e ambos iremos cumprir a nossa missão".

A receptividade do Queirós a este me pedido e desabafo, contrastou gritantemente com a frieza para não dizer desprezo dos meus superiores perante a situação. Não só se disponibilizou de imediato, como SEMPRE se empenhou em pleno na sua nova tarefa durante o resto da comissão e todos os problemas administrativos foram resolvidos sem qualquer problema. Para além disto ainda me ensinou (e muito bem) a interessar-me e gostar de saber o modo como daí em diante deveria começar a estudar os assuntos da área administrativa.

Ao longo da minha vida militar foram muitos os momentos em que me lembrei do meu grande amigo e professor Queirós e que o elogiei . Julgo que lhe mostrei pessoalmente durante os nossos convívios esta minha gratidão, mas sinto que lhe deveria ter dito mais vezes e com maior ênfase este incomensurável agradecimento. Deus sabe quanto lhe estou reconhecido e o muito que lhe agradeci e ainda agradeço.

Que descanse em paz pois deixou neste mundo muitos amigos!
Carnaxide 2MAR2013
Nuno G.C. Anselmo
Alf/Ten/ Cap CART 740