Teve, por Unidade mobilizadora, o Regimento de Artilharia Ligeira 1, de Lisboa. Constituído por três Companhias operacionais e uma de comando e serviços - C.ART 738, C.ART 739, C.ART 740 e CCS - desembarcou em Luanda no dia 18 de Janeiro de 1965. Regressou à Metrópole em 1967, aportando ao cais da Rocha do Conde de Óbidos a 9 de Março

sábado, 22 de março de 2014

CONFRATERNIZAÇÃO de 2014 - Álbum de Fotografias - Parte Primeira

Apesar do mês que corre, São Pedro resolveu, este ano, presentear-nos com um dia de quase Verão! Por interferência - quem sabe? - do seu companheiro em santidade, São Nuno de Santa Maria, padroeiro da Arma de Infantaria à qual a maioria dos camaradas havia pertencido. Aqui, na foto acima, a Organização (o Almeida e o autor do blogue), minimalista, este ano, por doença do nosso Pinto, dedicado colaborador e, até agora, sempre presente,  monta o seu "escritório", enquanto aguarda a chegada do Carlos Fonseca, da CArt 738, que ofereceu a sua ajuda.
Uma conversa com a Responsável pelo restaurante, para "acerto de agulhas"
Alguns camaradas aguardam já, para confirmarem as suas inscrições
 O Pinheiro, organizador de um dos autocarros, confirmando as suas inscrições
 
Aqui, o Sabido! Também ele um indefectível dos encontros. Pertenceu ao Pelotão sob o comando do autor do Blogue, o 4º.da CArt 739,

Mais fotografias, muito brevemente!
VETERANO

quinta-feira, 20 de março de 2014

Confraternização do Batalhão de Artilharia 741

A CArt 740 foi a única - infelizmente - que conseguiu reunir uns quantos elementos seus, para a fotografia de grupo (foto remetida por Cel Nuno Anselmo e, também,pelo Júlio Duarte)
Este postal vai retroactivamente datado, pois somente ao fim de algum tempo - algumas largas semanas - consegui a suficiente saúde e a serenidade de espírito necessárias à sua elaboração. Não comecei bem o ano e o mal já vinha do anterior. Foi a custo que fui disfarçando, o melhor que podia, o esforço da Organização de 2014.

Felizmente o pior parece já lá ir, esperando poder cumprir o, por já várias vezes prometido, reatamento de uma certa periodicidade de publicações, neste blogue. Ainda há algumas histórias, no mínimo curiosas, por contar.

Realizámos, novamente, a Confraternização em Fátima. Várias razões nos levaram a esta escolha: a localização no Centro de Portugal, o simbolismo religioso e um serviço agradável.
O dia esteve bom, o evento correu muito bem e o número de presenças foi razoável, atendendo à idade que, todos nós, vamos tendo, idade essa necessariamente limitadora de grandes deslocações. De lamentar, apenas, as várias ausências de alguns Camaradas, por razões de doença, própria ou de familiares. 
O Cel. Ruby Marques discursando... (foto remetida pelo Cel Nuno Anselmo)
As fotografias que ilustram este postal foram-nos enviadas pelos Camaradas indicados em cada uma delas. A todos, os nossos sinceros agradecimentos, Possuímos, ainda, umas quantas mais tiradas por um filho que nos acompanhou e que publicaremos brevemente.
Cel Ruby Marques e Esposa (foto remetida pelo Carlos Cristóvão, da CCaç 715)
Não podemos deixar de, especialmente, nos congratularmos com a presença do Cel Ruby Marques e do Cel Ramiro Morna do Nascimento (este vindo expressamente da Madeira), presenças com que esperamos poder contar, ainda, durante muitos anos.
O Bolo Comemorativo (foto remetida pelo Cel Nuno Anselmo)


Finalmente uma referência ao caro Camarada Carlos Fonseca - autor do blogue SPM 8146 - que, este ano, nos ajudou na Organização (o Pinto, por doença, não pôde acompanhar-nos). Sugerimos uma visita ao blogue, onde poderão apreciar  uma excelente série de fotografias.

***************************************

Melhor do que nós, porém, eis como o Cel Nuno Anselmo viu e descreve este nosso Convívio, texto que merece bem o lugar de honra neste postal. 

28º CONVÍVIO DO BART 741

FÁTIMA 8MAR2014

RECORDAÇÕES, PENSAMENTOS E NECESSIDADE DE PARTILHA ……..

Mais uma vez ontem em Fátima, voltei à minha meninice e revi-me nos meus idos anos vinte ( passei em Angola os meus 24 e 25 anos ).

Se ao longo da minha vida não tivesse tido outros motivos pelos quais ela tem valido a pena, teria bastado o convívio de ontem para me sentir realizado.

Recordei, ou melhor recordámos, várias estórias e momentos bons e menos bons passados quer como jovem Alferes Cmdt do  PelRecInfo, quer também como jovem Tenente e Capitão Cmdt da CART 740.

As lembranças e as provas de muita amizade e grande consideração que muitos dos militares que comigo trabalharam Oficiais, Sargentos e Praças, encheram o meu ego de grande alegria.

Saber que apesar das circunstâncias adversas pelas quais a maior parte dos militares do BART 741 passaram, ainda sou recordado como alguém a quem ainda a elevada amizade e consideração perdura, é OBRA.

Claro está que nada disto poderia dizer se não fosse a inexcedível e inesquecível trabalheira e dedicação do VETERANO (Alferes Silva Pereira da CART 739) e dos seus valiosos colaboradores, a quem dirijo as minhas sinceras felicitações e votos de que mantenham a “pedalada” para que nos continuemos a encontrar enquanto DEUS nos der vida e saúde.
Juntar para cima de 200 pessoas (militares, familiares da 2ª e 3ª geração e amigos) num universo de cerca de 600 homens que há 48 anos regressaram de Angola é ARTE e da GRANDE.

Carnaxide, 9 de Março de 2014
Nuno Guilherme Catarino Anselmo

( O recordante, o  pensante e o  partilhante….. )

domingo, 16 de março de 2014

Soldado Manuel Sousa Pinto! PRESENTE!


Faz hoje 49 anos que faleceu, algures no Norte de Angola, o Soldado Atirador de Infantaria 

Manuel Sousa Pinto

 que fazia parte do 4º. Grupo de Combate da CArt 739.
"Em verdade, só morremos verdadeiramente quando já ninguém nos recorda"

"In Memoriam"
Uma velha canção militar alemã "Ich hatt' einen Kameraden" (Eu tinha um camarada...)

sábado, 1 de março de 2014

OS DEZ DE TÂNGER - Mais Um Livro do EDUARDO PALAIO

Uma expedição contada e vivida por dez homens com existência real mas apagados nos mapas da nossa memória. "Os Dez de Tânger" centra-se nos caminhos tortuosos de uma expedição feita por soldados desconhecidos, nos segredos do povo miúdo arrebanhado para a guerra. Trata-se de uma história épica de dez homens com vidas reais que partiram à aventura de novos horizontes numa expedição ao Norte de África. Um episódio que ficará para sempre guardado nos anais da nossa História e que é aqui relembrado de forma épica e rigorosa.

É mais um livro do nosso estimado Camarada EDUARDO PALAIO, ex-Alferes da CART 739. Sentímo-nos muitíssimo honrados por publicitar este excelente trabalho, que pode ser adquirido na FNAC, via Internet.