Teve, por Unidade mobilizadora, o Regimento de Artilharia Ligeira 1, de Lisboa. Constituído por três Companhias operacionais e uma de comando e serviços - C.ART 738, C.ART 739, C.ART 740 e CCS - desembarcou em Luanda no dia 18 de Janeiro de 1965. Regressou à Metrópole em 1967, aportando ao cais da Rocha do Conde de Óbidos a 9 de Março.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Confraternização do Batalhão de Artilharia 741

Conforme estava anunciado, realizou-se, no passado dia 9 do corrente - dia em que, exactamente, perfazíamos 46 anos que aportámos a Lisboa - o 27º. Convívio dos elementos que constituíram o Batalhão de Artilharia 741.
A Confraternização realizou-se na Quinta dos Loridos (Budha Eden Park), nas proximidades do Bombarral e contou com a presença de 104 ex-combatentes, muitos dos quais acompanhados de familiares. Procurou-se proporcionar um dia agradável a todos quantos se deslocaram, alguns vindos mesmo de bastante longe. 
Graças à colaboração do Armindo Matias, residente nas Caldas da Rainha, conseguimos, à última da hora, que fosse rezada Missa por alma dos Camaradas falecidos no Santuário do Senhor Jesus do Carvalhal, pelas 11 horas da manhã.
Voltámos a lembrar os Camaradas falecidos, a meio da tarde, com alguns segundos de silêncio antes de, em coro mais ou menos "desafinado", cantarmos os "Parabéns" por mais este aniversário.

Para memória futura, aqui ficam as fotos dos "indefectiveis" das quatro Companhias que constituíam o Batalhão (como é hábito, em "desorganizações" como esta, alguns camaradas não se "apresentaram à chamada" para as fotos de grupo, pelo que, para além dos aqui documentados, outros mais havia) 
CArt 738
CArt 739
CArt 740
CCS
VETERANO

PS 1 - Não posso deixar de referir os magníficos postais (este, este e ainda este e mais este) colocados pelo meu excelente camarada Carlos Fonseca, no seu blogue, a propósito desta confraternização. 

PS 2 - A título de curiosidade, apresento um gráfico relativo às presenças de ex-combatentes, nos últimos 5 convívios:

V.

2 comentários:

Carlos Fonseca disse...

Caro Veterano e meu prezado amigo,

A sua amizade acaba por embotar o juízo que faz do meu "trabalho", já que eu próprio não consigo encontrar o mérito que lhe dá.

Não deixo por isso de agradecer as suas palavras que tomo como um incentivo.

Não pretendendo deixar a ideia de uma troca de galhardetes (que poderá vir ao pensamento de alguns leitores menos avisados), não quero passar em branco a publicação do gráfico mostrando-nos o modo como tem evoluído a presença nos encontros dos nossos camaradas de venturas e desventuras, daqueles já longínquos tempos.

Esta sim foi uma magnífica iniciativa.

Um abraço.

Carlos Fonseca disse...

Caro Veterano e meu prezado amigo,

A sua amizade acaba por embotar o juízo que faz do meu "trabalho", já que eu próprio não consigo encontrar o mérito que lhe dá.

Não deixo, por isso, de agradecer as suas palavras, que tomo como um incentivo.

Não pretendendo deixar a ideia de uma troca de galhardetes (que poderá vir ao pensamento de alguns leitores menos avisados), não quero passar em branco a publicação do gráfico mostrando-nos o modo como tem evoluído a presença nos encontros dos nossos camaradas de venturas e desventuras, daqueles já longínquos tempos.

Esta sim foi uma magnífica iniciativa.

Um abraço.